Não há que pedir licença para aprender!

Entrevista Marta Soeiro
Marta Soeiro
Marta Soeiro, HR Business Partner do Grupo Cães de Pedra

 

A humanidade vive o melhor momento para aprender e hoje o conhecimento é acessível a todos os espíritos curiosos, a cada momento aprendemos muitas e muitas coisas.

Leia a entrevista com a Marta Soeiro, HR Business Partner do Grupo Cães de Pedra.

1. Como é que se estimula nas pessoas a vontade de aprender?

Num mercado tão competitivo nos tempos que correm e, para se conseguir acompanhar a evolução do mesmo, as empresas necessitam de ter bons profissionais e a formação tem um papel fundamental nesta matéria.
Estimular nas pessoas a vontade de aprender é fazer com que as mesmas compreendam o quão importante a formação é, fundamental não só para a organização, mas também para elas próprias. É dar a perceber às pessoas que se estiverem disponíveis para uma aprendizagem constante vão melhorar conhecimentos e aperfeiçoarem-se nas funções que desempenham. É fazer entender às pessoas que uma aprendizagem contínua só traz benefícios, para uma evolução não só profissional como pessoal.

As empresas, nos dias de hoje, podem e devem cada vez mais ouvir os colaboradores e colocar os mesmos a fazer parte da solução, desafiando-os com novas tarefas e obrigá-los assim a procurar respostas aos desafios propostos e consequentemente criar a necessidade no mesmo de sentir vontade de procurar, de forma proativa, formação.

Acredito que pessoas que sentem necessidade de aprendizagem constante, são pessoas que conseguem obter melhores resultados.

3. Como fazer o match entre as competências que a organização necessita e a “vontade” do colaborador? Como é que isto é feito na sua organização?

Primeiramente, é importante que o colaborador esteja alocado à área na qual tem gosto e formação. Isto, por si só, ajuda o mesmo a trabalhar com motivação, paixão e entusiamo.

Para a organização, existem algumas ferramentas que, quando aplicadas, conseguem identificar as formações necessárias a promover. Como, por exemplo, avaliação de desempenho, reuniões de equipa e reuniões individuais. Este acompanhamento próximo permite às organizações identificarem lacunas/ necessidades de formação, bem como o colaborador percebe a necessidade de enriquecer os seus conhecimentos para conseguir um resultado, no seu trabalho final, com maior qualidade.

Na minha organização, somos proativos e promovemos formação interna, as formações são escolhidas de acordo com as necessidades dos colaboradores e quando os mesmos mostram vontade de participar.

4. Aprender é uma experiência, para si qual o ponto alto desta afirmação?

Promover experiências é saber viver a vida de forma ativa! Qualquer e todo o tipo de experiências são aprendizagens. Desde que nascemos que estamos numa aprendizagem constante (aprender a andar, falar, comer, comunicar e todas as aprendizagens “comuns”), que fazem parte da evolução do ser humano.

Viver a experiência de aprendizagem é enriquecer-me! O resultado destas experiências permitem-me evoluir enquanto ser humano, tornar-me mais culta, mais sábia, ajuda-me a encarar melhor qualquer situação mais complexa da vida, permite-me ter mais e melhores conhecimentos para viver a vida em equilíbrio, ajuda-me também a saber comunicar melhor com o outro e vai-me proporcionar a sensação de realização pessoal. Em síntese, a experiência de aprender só traz benefícios quer a nível pessoal, social e profissional.

Gostou deste artigo? Subscreva a newsletter do RHBizz aqui. Siga-nos também no LinkedIn.

Formações ajustadas ao seu negócio

FORMAÇÕES À MEDIDA

Provocamos e aceleramos processos de mudança com a implementação e desenvolvimento de soluções pragmáticas orientadas para os resultados

SABER MAIS