4 dicas para se iniciar na arte do Mindfulness

Os benefícios do Mindfulness já foram amplamente estudados. Para além de ajudarem a diminuir os níveis de stress, os exercícios de Mindfulness podem, inclusive, ajudá-lo a gerir melhor o seu tempo. Mas desengane-se se acha que precisa de ser muito experiente na prática do Mindfulness para ter benefícios. De acordo com o investigador da Universidade de Brandon, no Canadá, Nicholas Watier, os iniciantes nesta prática conseguem obter benefícios com pequenos exercícios de apenas dez minutos.

O investigador partilhou recentemente com o portal Thrive algumas dicas acessíveis para quem nunca experimentou Mindfulness e que podem ajudá-lo a iniciar-se. Conheça-as.

Faça uma ‘caça ao tesouro’ pessoal

Um artigo recentemente publicado no The New York Times sugere a estratégia do autor do livro ‘The Art of Noticing’, Rob Walker: encontrar algo que ninguém lhe pediu que procurasse. Em vez de olhar para o seu telefone ao longo do dia, sempre que faz uma pausa, dedique-se a tentar encontrar algo novo no seu ambiente. Uma forma simples de o fazer pode ser, por exemplo, olhar para as pessoas e elementos à sua volta e tentar encontrar todos os elementos vermelhos.

Observação livre de metáforas

Pense na forma como perceciona aquilo que está à sua volta. Será que a luz no seu escritório é tão brilhante como o sol? Será que o ar condicionado parece tão fresco como uma manhã de inverno? Tendemos a relacionar conceitos, comparando umas coisas com outras. Mas de acordo com Rob Walker, ao relacionarmos as coisas umas com as outras, tendemos a perder o momento para observar algo por aquilo que é. Este é o conceito por detrás da observação livre de metáforas.

Uma das formas mais simples de iniciar um exercício deste género é escrever dez observações livres de metáforas sobre aquilo que o rodeia. Parece simples, mas mostra como estamos condicionados para automaticamente vermos algo à luz de outra coisa. Este truque pode ajudá-lo a abrandar e a ver as coisas por aquilo que realmente são.

Respire

Respirar é uma das coisas mais automáticas que fazemos. Mas o que será que acontece quando começamos a prestar atenção à nossa respiração? O investigador Nicholas Watier pediu aos participantes no seu estudo que prestassem atenção ao ato instintivo de respirar, dando-lhes instruções. Leia-as.

“Primeiro, sente-se confortavelmente numa cadeia. Comece por reparar na forma como está sentado na cadeira e nos locais em que está em contacto com a cadeira. Repare nos locais em que sente o ar a tocar na sua pele. Agora, mude a sua atenção para a sua respiração – sem tentar mudar o ritmo. Repare na forma como o ar entra no seu corpo quando inspira e como atravessa o seu corpo antes de expirar. Repare na forma como o corpo se move em cada inspiração. Permita que qualquer pensamento ou sentimento ocorra de forma natural. Depois, volte a colocar a sua atenção na sala, na forma como está sentado e na sua respiração”.

Repare nas suas emoções

Este exercício vai ajudá-lo a conectar-se com os seus sentimentos. Nicholas Watier sugere que, em vez de suprimir os seus sentimentos, deve tentar ouvi-los.